CLUBE DO RITMO

 

Bibi Ferreira, atriz, cantora e compositora que fez história nos musicais brasileiros, morreu nesta quarta-feira, 13 de fevereiro, aos 96 anos, em sua casa, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pelo empresário da artista e por sua família, que acredita que Bibi morreu dormindo.

Fruto de uma família profundamente ligada ao circo e ao teatro —seu pai era o ator Procópio Ferreira, um dos maiores nomes das artes cênicas do país, e sua mãe era a bailarina espanhola Aída Izquierdo (também apelidada Bibi)—, a artista estreou nos palcos já aos 24 dias de vida, no espetáculo Manhãs de Sol, com a madrinha Abigail Maia, substituindo uma boneca de pano. Desde então, não deixou os holofotes. Aos três anos, animava os entreatos dos espetáculos da companhia de teatro da mãe, a Velasco.

A estreia profissional chegou aos 18 anos, depois de uma infância de aulas de ópera, piano e violino, além de uma temporada no Corpo de Baile do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, dos sete aos 14 anos. Em 1941, atuou ao lado do pai em La Locandiera, peça de Carlo Goldoni. Apenas um ano depois, fez história ao montar sua própria companhia e tornar-se uma das primeiras mulheres a dirigir teatro no Brasil, com a obra Fizemos Divórcio, em que conduziu o próprio pai em cena. Nessa época, trabalhou com nomes como Cacilda Becker, Maria Della Costa e a diretora francesa Henriette Morineau.

Bibi Ferreira levou muitos dos artistas com quem trabalhou no teatro para a televisão em 1960, quando inaugurou a TV Excelsior com o programa Brasil 60. Também apresentou Bibi sempre aos domingos e, em 1968, estrelou o musical Bibi ao vivo, transmitido direto do auditório da Urca. Pouco depois, realizou os papeis que marcaram sua carreira: My fair lady (Minha Querida Dama), de Frederich Loewe e Alan Jay Lerner, e Hello, Dolly!,  versão da obra The matcmaker, de Thornton Wilder, com Hilton Prado e Lísia Demoro.

A artista também foi responsável por um dos maiores sucessos do Canecão, ao dirigir o espetáculo Brasileiro, profissão esperança, inspirado na obra do compositor Antonio Maria e protagonizado por Paulo Gracindo e Clara Nunes.

Ganhadora do Prêmio Molière, em 1975, por interpretar Joana em Gota D’água, de Paulo Pontes e Chico Buarque —montagem que ambientava a tragédia Medeia em um morro carioca—, Bibi também eternizou a fadista Amália Rodrigues em Bibi vive Amália, nos anos 2000. Também se apresentou acompanhada por orquestra e coral os recitais Bibi in concert e Bibi in concert pop.

Em entrevista a EL PAÍS em agosto de 2018, Fernanda Montenegro afirmou que Bibi era sua “raíz”. “No momento, embora com 97 anos, Bibi Ferreira é a grande mulher, a grande atriz, a grande produtora, a grande artistas dos palcos desse país. Não sou eu. É nela que eu me espelhei quando eu tinha 15 ou 20 anos. Além dela, Dulcina de Moraes. Mas Bibi trabalhou até 95 anos e é também uma cantora extraordinária, uma mulher de palco absoluta”, disse a atriz.

“Ô meu Deus! Que dia triste para o Brasil! Brilhe sempre, Estrela Bibi”, disse Elza Soares em seu conta no Instagram. A também cantora Alcione afirmou que “perdemos a maior personalidade do teatro brasileiro”, enquanto a atriz Zezé Motta disse que não consegue “imaginar o mundo e os palcos” sem pessoas como Bibi.

“Acabamos de perder a grande dama do Teatro Brasileiro. Bibi abrilhantou nossos palcos com seu talento e sabedoria, foi uma atriz, cantora e diretora única em seu entendimento da arte teatral, em seu olhar sobre a humanidade, com a força e o mistério do amor, da entrega e dedicação ao ofício da interpretação. Todos nós aprendemos com ela e a reverenciamos. Vai continuar brilhando no céu de nossa memória. Nos palcos e na vida nosso amor e gratidão eternas! Bravos Bibi”, publicou a atriz Beth Goulart.

IFRJ divulga Edital do processo seletivo para os cursos de graduação

 

O Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) divulgou Edital sobre a seleção de candidatos para o preenchimento das vagas dos cursos de graduação oferecidos pelo Instituto, para ingresso no 1º semestre de 2019, utilizando-se do Sistema de Seleção Unificada (SiSU).

O IFRJ é uma instituição de ensino pública e oferece cursos gratuitos.  Possui 15 campi, sendo um deles situado em Realengo, na Rua Professor Carlos Wenceslau, 343.

O Campus Realengo do IFRJ oferece cursos de graduação em Farmácia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Em 2019, serão disponibilizadas 30 vagas no total para cada curso, sendo que 50% das vagas de cada curso serão ocupadas pelos candidatos que optarem pela modalidade Ampla Concorrência e 50% pela modalidade Ação Afirmativa.

A seleção dos candidatos será efetuada exclusivamente com base nos resultados obtidos pelos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), referente ao ano de 2018.

Os candidatos interessados deverão se inscrever através do site do SiSU http://sisu.mec.gov.br no período de 22 a 25 de janeiro de 2019.

O Edital assim como mais informações sobre todos os cursos de graduação oferecidos pelo IFRJ estão disponíveis em https://portal.ifrj.edu.br/processo-seletivo-sisu-2019.

Fonte:

Carolina Andrade

Assessoria de Comunicação

IFRJ Campus Realengo

https://portal.ifrj.edu.br/realengo

https://www.facebook.com/ifrjrealengo

Sistema Único de Saúde

Conforme a Constituição Federal de 1988 (CF-88), a “Saúde é direito de todos e dever do Estado”. Assim foi criado o Sistema Único de Saúde (SUS), um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo, que abrange desde o simples atendimento para avaliação da pressão arterial até o transplante de órgãos, garantindo acesso integral, universal e gratuito para toda a população do país.

No período anterior a CF-88, o sistema público de saúde prestava assistência apenas aos trabalhadores vinculados à Previdência Social, aproximadamente 30 milhões de pessoas com acesso aos serviços hospitalares, cabendo o atendimento aos demais cidadãos às entidades filantrópicas.

Com a sua criação, o SUS proporcionou o acesso universal ao sistema público de saúde, sem discriminação. A atenção integral à saúde, e não somente os cuidados assistenciais,  passou a ser um direito de todos os brasileiros, desde a gestação e por toda a vida, com foco na saúde com qualidade de vida.

A CF-88 e posteriormente, a Lei Orgânica da Saúde, de nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, intensificam debates já existes acerca do conceito. Nesse contexto, entende-se que saúde não se limita apenas a ausência de doença, considerando, sobretudo, como qualidade de vida, decorrente de outras políticas públicas que promovam a redução de desigualdades regionais e promovam desenvolvimentos econômico e social.

Dessa maneira,  o SUS, em conjunto com as demais políticas, deve atuar na promoção da saúde, prevenção de ocorrência de agravos e recuperação dos doentes.  A gestão das ações e dos serviços de saúde deve ser solidária e participativa entre os três entes da Federação: a União, os Estados e os municípios.

A rede que compõem o SUS é ampla e abrange tanto ações, como serviços de saúde. Ela engloba a atenção básica, média e alta complexidades, os serviços urgência e emergência, a atenção hospitalar, as ações e serviços das vigilâncias epidemiológica, sanitária e ambiental e assistência farmacêutica.

Movimento Escoteiro realizará grande atividade na Zona Oeste!!!!

divulgação

No próximo dia 19 de maio de 2018 os Escoteiros do Brasil realizarão, simultaneamente e em todo o país, um evento denominado 2º EducAÇÃO ESCOTEIRA, com objetivo de oferecer em espaços de instituições educativas um conjunto de atividades típicas escoteiras, relacionadas com nosso tema anual – Escotismo – Educação para a vida – e cujo conteúdo possa apoiar a prática de matérias aplicadas na Educação Básica.

Para as Escolas que disponibilizarem espaço para sua realização, a atividade pode ser compreendida como oportunidade de desenvolvimento de atividades de apoio à aprendizagem, de experimentação e pesquisa, principalmente na preservação do meio ambiente e promoção da saúde.

Por que realizar o EducAÇÃO ESCOTEIRA?

EducAÇÃO ESCOTEIRA é um evento realizado com a participação das Unidades Escoteiras de todo o país, oferecendo em espaços de instituições educativas um conjunto de atividades típicas escoteiras que se relacionem com o tema do ano – “Educação para a vida” – e conteúdo da Base Nacional Comum Curricular.
EducAÇÃO ESCOTEIRA é um evento realizado com a participação das Unidades Escoteiras de todo o país, neste caso o 9o Grupo de Escoteiros Marechal Deodoro, oferecerá em espaços de instituições educativas um conjunto de atividades típicas escoteiras que se relacionem com o tema do ano – “Educação para a vida” – e conteúdo da Base Nacional Comum Curricular.

A presença dos Escoteiros promovendo atividades dentro das escolas atende aos interesses das Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica, que propõe tornar interessantes os conteúdos escolares.

(conforme pág. 117, DCNEB, 2013), daí que deve ser planejado e desenvolvido de modo que o público alvo – crianças e adolescentes – possa sentir prazer nas atividades. O Movimento Escoteiro possui uma história centenária em proporcionar experiências educativas de forma divertida e interessante às crianças, adolescentes e jovens

Aos escoteiros, promover o EducAÇÃO ESCOTEIRA faz parte do comprometimento com a educação para a vida, que deve refletir-se em todas as dimensões dos jovens, ajudando-os a evoluir e crescer como pessoas, inclusive no que diz respeito ao progresso na educação formal. Isso é o que a sociedade também espera, pois se entende que as estratégias para melhorias da qualidade do ensino seguem caminhos variados, e que esse esforço necessita do apoio da comunidade onde as instituições de ensino estão inseridas.

Onde : Colégio Paulo Gissoni

EndereçoAv. de Santa Cruz, 1655 – Realengo, Rio de Janeiro – RJ, 21710-231

Telefone(21) 3216-7797

Quando: Dia 19 de Maio de 2018 das 9:00 as 11:00

Face do Grupo: https://www.facebook.com/9grupodeescoteirosmarechaldeodoro

os dados do meu Grupo escoteiro:  site: www.9gemarecjaldeodoro.org

Endereço: Av. Duque de Caxias 580 fundos. Vila Militar

Contato: 21 4113-6513

Funcionamento aos sábados de 14:00 as 18:00 horas.

200 anos de Realengo / 200 motivos pra te amar.

Para comemorar o aniversário dos 200 anos de Realengo a sociedade civil organizada se esforça para dar um presente a altura que o bairro merece, listamos aqui algumas delas que inclusive já começaram, e que terá seu ponto alto no dia 20 de Novembro na praça padre Miguel.200anos olharemmovimento

# Mostra Fotográfica

Reprodução

Desde sexta-feira, dia 13 de Novembro até o dia 20 os moradores podem  visitar a exposição:  Olhar em Movimento com fotos tiradas durante a caminhada pelos pontos históricos do bairro.

Local: Biblioteca digital do Colégio Pedro II – Rua Bernardo de Vasconcelos esquina com rua Dr. Lessa.

Confira a programação na página: https://www.facebook.com/circuitoitinerantedepoesia/?fref=ts

 

# CIRCUITO ITINERANTE DE POESIA

Dentro das celebrações dos 200 anos de Realengo o Circuito Itinerante de Poesia em parceria com a Universidade Castelo Branco promove mesas temáticas com foco na poesia. bethcircuito4Será no teatro da Universidade Castelo Branco – Campus Realengo. A entrada é franca. #Realengo200anos

TEMAS:
1-POESIA ENCENA – O PAPEL DA POESIA NA ESCOLA
DIA: 17/11 – 18h
PALESTRANTE: Beth Araujo ( Atriz, Arte Educadora)
CONVIDADOS: Profª Petronilha Alice Almeida Meirelles
Profª Leila Bicudo – Profº Gustavo Pinto, Profª Mônica Martins,
Profª Martha Nogueira – Diretora da Escola M. Corsino do Amarante

– RELAÇÕES RACIAIS NO ESPAÇO ESCOLAR – POESIA DE SOLANO TRINDADE – APRESENTANDO: SOLO PARA SOLANO – ATOR : CARLOS MAIA
Dia: 17/11 – 19h
PALESTRANTE: Profº Esp.Gustavo Pinto Alves da Silva (Pedagogia/História)
Convidados: Profª. Esp. Elisa Simoni da Silva ( Letras/ Jornalismo)

# A FESTA PELOS 200 ANOS na Praça Padre Miguel.

09 hs Abertura com a Banda Sinfônica da 9ª Brigada de Infantaria do Exército Brasileiro.

200anos programa

– Passeio ciclístico ( concentração na Universidade Castelo Branco ) prevista uma volta na antiga Fabrica de Cartuchos, em apoio ao Movimento: “O Realengo que Queremos” – que reivindica a implantação do PARQUE DE REALENGO VERDE, no local.

-Tradicional Ferinha de Artesanato, marca presença.

– A partir das 13hs – Exposição de Carros Antigos com o Grupo West Volks,

Bate-Bolas – Exposição da Fantasia Campêa que homenageou o bairro no Carnaval deste ano, idealizada pelo Grupo União de Realengo,

– 16hs Flash Mob organizado pela companhia “In Off” seguida de Inúmeras atrações de dança de diversas companhias de Realengo e adjacências,

 SARAU em Terras Realengas? 

O COLETIVO ARTÍSTICO-CULTURAL MARIA REALENGA

200anos Sarau3Organizará o Sarau Cultural “ A Praça é Nossa”. Com a presença de inúmeras atrações artísticas-culturais de nosso bairro.

Com a parte musical sendo coordenada por Alex Nistaldo (Misturando o Som)

Escritores de Realengo estarão apresentando seus trabalhos, e outros de fora mas que registraram nosso bairro muito bem em seus livros.

 

Desde março estamos falando neste evento, lamentavelmente não está sendo feito como sonhado, pois a falta de cooperação dos órgãos oficiais para com a sociedade civil organizada é uma coisa lamentável, uma insignificante colaboração de empresários, onde os pequenos prontamente se prontificaram a ajudar.

 Dentro da programação teremos ainda, cinema na praça! 200anos Cinegrada

A festa é nossa! A praça é nossa! Não estaremos aqui nos 300 anos, portanto vamos fazer bonito para inspirar os que organizarão a próxima!

Pró-Realengo informa: Venha e traga a família, recomendamos sua cadeira de praia, não haverá barracas com comes e bebes, somente o comercio local estará disponível, se for de seu agrado, um piquenique particular com isopor é uma boa opção, afinal somos suburbanos.

#realengo200anos  #midiasdazonaoeste

 

Agora em Realengo a primeira Escola privada de Técnicos em Citopatologia do Estado.

Agora em Realengo a primeira Escola privada de Técnicos em Citopatologia do Estado.No mês do Outubro Rosa está é uma noticia sensacional, que promete fazer a diferença na saúde da mulher no estado do Rio de Janeiro.

Fomos ouvir o professor João dos Santos Gonçalves que se empenhou em trazer este curso inédito em nosso estado para o bairro de Realengo exatamente no ano em que ele comemora 200 anos, certamente um presente e tanto que formará profissionais que salvarão muitas vidas.

No coração de Realengo em frente a UCB.

No coração de Realengo em frente a UCB.

O       Centro de Aperfeiçoamento Profissional Biomédico – CAPBio, nasceu como fruto da dedicação e denodo do professor João dos Santos Gonçalves, que há 20 anos se dedica à

CapBio00005

Salas confortáveis e climatizadas e bem equipadas.

formação,  à preparação e à qualificação de mão de obra especializada na área de saúde, cuja sua preocupação maior foi o profissional de nível médio, de quem depende em grande parte o andamento e o sucesso dos serviços de saúde, quer públicos quer privados.  Em 2011, o professor João dos Santos Gonçalves motivado por um grupo de alunos e com o objetivo de suprir a carência de cursos na região, fundou o Curso CAPBio para ofertar cursos de atualização, de aperfeiçoamento profissional e de preparatórios para concursos públicos na área de saúde. Os idealizadores da Instituição foram os  professores João Gonçalves e   Patrick Menezes.  A modernidade de seus propósitos, aliada ao alto nível de formação do corpo docente, elevou o bom nome do curso e fez com que o seu prestígio ultrapassasse fronteiras.  Em 2014, foi criada a Escola Técnica CAPBio, com sede na Avenida de Santa Cruz, 1678, sala 204, 00250 Lojas A e A, no bairro de Realengo.

         CapBio00004O Estado do Rio de Janeiro possui extrema carência de profissionais da área de Citopatologia, devido à inexistência da oferta de um Curso Técnico em toda rede de escolas técnicas privadas dos 92 municípios que compõem o estado do Rio de Janeiro. O único curso de formação de Técnicos em Citopatologia ofertado no estado do Rio de Janeiro funciona no município do Rio de Janeiro por meio da rede pública federal de ensino, resultado de uma parceria entre a Escola Politécnica Joaquim Venâncio (EPSJV), unidade da Fundação Osvaldo Cruz (FIOCRUZ) e a Divisão de Patologia (DIPAT) do Instituto Nacional do Câncer (INCA), que recebe uma demanda de alunos de todo Brasil, já que são inexistentes ou escassos cursos de formação para Técnicos em Citopatologia em todas as unidades federativas do Brasil, o que ressalta a relevância social do curso ora ofertado em Realengo, além disso  dados  estatísticos  do (INCA) relacionados ao  câncer de colo do útero aponta  esta doença como o terceiro tipo de tumor com maior incidência sobre as mulheres no Brasil – embora, na região Norte, ocupe o primeiro lugar. Segundo estimativas do INCA, publicadas em 2014, 4.540 novos casos surgirão em 2015 no Brasil, e somente no estado do Rio de Janeiro 590 casos.

Professor João, exibindo orgulhoso a Autorização da Secretaria de Educ. do Estado.

Professor João, exibindo orgulhoso a Autorização da Secretaria de Educ. do Estado.

De acordo com o (INCA), os dados mais recentes sobre o panorama mundial mostram que, em 2008, 275 mil mulheres morreram vítimas desse câncer e que mais de 85% delas viviam em países  em  desenvolvimento.  Uma provável explicação para as altas taxas de incidência em países em desenvolvimento seria a inexistência ou a pouca eficiência dos programas de rastreamento das lesões precursoras do câncer do colo do útero.  Um dos personagens principais para o êxito destes programas de rastreamento é um trabalhador de nível médio que atua, em geral, na análise microscópica das lâminas do [1]‘Teste de Papanicolaou ou Preventivo do câncer ginecológico’, esse profissional é o Técnico em Citopatologia que integra as equipes responsáveis pelo diagnóstico e prevenção do câncer nos Laboratórios de Anatomia Patológica e Citopatologia  isolados ou em Clínicas e Hospitais, o que reforça a importância da existência em Realengo pela Escola Técnica CAPBio.

OBJETIVOS DO CURSO

           O Curso Técnico em Citopatologia objetiva a formação do técnico de nível médio para atuar em laboratórios de Anatomia Patológica e Citopatologia segundo especificidades da citologia e da histologia na perspectiva da promoção da saúde, prevenção de agravos e tratamento de doenças.

  • Participar do planejamento, programação e orientação das atividades nos Laboratórios de Anatomia Patológica e Citopatologia nos campos da citologia e da histologia:
  • reconhecer a morfologia celular e interpretar suas alterações;
  • reconhecer situações de risco na execução de ações e procedimentos pertinentes aos exames citológicos e histológicos e suas consequências;
  • operar equipamentos necessários à realização de exames citológicos e histológicos;
  • reconhecer insumos pertinentes à coleta, ao processamento, à fixação, ao acondicionamento e ao transporte de amostras;
  • utilizar insumos pertinentes à fixação, ao processamento, ao acondicionamento e ao transporte de amostras;
  • confeccionar lâminas segundo técnicas específicas;
  • realizar técnicas de coloração de amostras;
  • avaliar a qualidade das amostras conforme protocolos e normas nacionais;
  • correlacionar informações clínicas com os achados citológicos;
  • reconhecer, no preparado citológico, a microbiota normal, patológica, os agentes infecciosos, artefatos e estruturas de outra natureza;
  • marcar campos com estruturas e alterações morfológicas significativas;
  • escrutinar, interpretar e registrar os resultados dos preparados citológicos, conforme protocolos e normas nacionais;
  • utilizar técnicas de recepção e de tratamento prévio do material encaminhado para exame;
  • aplicar métodos de fixação, de inclusão, de execução dos cortes, de coloração e de montagem de lâminas;
  • operar equipamentos utilizados na execução das técnicas citológicas e histológicas.

Quem são eles.

DIRETOR : Prof. João os Santos Gonçalves

Doutorando em Ciências pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal  do Rio de Janeiro.

Especialista em Citopatologia pela Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

DIRETOR ADJUNTO : Prof. Patrick Menezes Lourenço

Mestre em Medicina Laboratorial pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Especialista em Análises Clínicas pela Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.


cap bio Abril

O que é Citopatologia?

Citopatologia é o estudo das células e suas alterações em casos patológicos.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Citopatologia

O verde vira cinzas.

O verde vira cinzas.

Imagem00001

Serra do Barata queima lentamente. foto: Luiz Fortes

No dia mais quente do inverno, além da população sofrer muito com esta sensação de forno, o meio ambiente também sofre com esta seca.

Este é um flagrante captado no inicio da noite do dia 31 de agostos de 2015.

Serra do Barata, no Maciço da Pedra Branca um incêndio vai queimando lentamente a floresta que seria a solução para a melhoria do nosso ar.

Imagem00003

foto : Leandro Fraga

Ontem também recebemos esta denuncia do leitor Leandro Fraga, mas não tivemos tempo hábil para denunciar.

 

 

 

 

Marcelo Rodrigues leitor do blog pro-Realengo enviou esta filmagem.

Foz Águas 5 : INSCRIÇÕES ABERTAS PARA OFICINAS DE ARTICULAÇÃO COMUNITÁRIA

Inscrições Abertas. Curso Gratuito.

Articulação Comunitária para Moradores de Realengo com certificado da UNESCO.Somente 25 vagas. Inscreva-se www.fozaguas5.com.br

Como parte do projeto Encontros para uma Zona Oeste Sustentável, em parceria

Divulgação

Divulgação

com a UNESCO, a Foz Águas 5 realizará oficinas de Articulação Comunitária na Estação de Tratamento de Esgoto Constantino Arruda Pessôa, em Deodoro. As oficinas para os moradores de todo Realengo iniciam-se no dia 12 de setembro e têm inscrição gratuita com direto a certificado da UNESCO para todos os participantes. Os interessados devem preencher a ficha de inscrição para concorrer a uma vaga. Vagas são limitadas a 25 participantes. Inscrições até 03 de setembro. 

Acesse o link http://www.fozaguas5.com.br/zonaoestesustentavel/ e faça já sua

Uma vez que o acesso aos serviços de saneamento básico é entendido como direito fundamental coletivo e individual, as percepções vividas pelos participantes serão o ponto de partida para a compreensão dos problemas relacionados à falta de saneamento e sua

consequência na interação com o meio ambiente. Assim, o objetivo das oficinas é apresentar aos participantes ferramentas e instrumentos de organização e mobilização comunitária, tendo como prática final a elaboração e a execução de uma campanha local para incentivar a comunidade a se conectar a rede de esgoto.

As inscrições estão abertas até o dia 5 de agosto para a 1° turma e as vagas são limitadas. Inscreva-se: www.fozaguas5.com.br

Mais informações pelo e-mail comunicacao@fozaguas5.com.br.

Realengo 200 anos: MOBILIDADE ZERO

MOBILIDADE ZERO

689 cascadura

739 na estrada da cancela 923 ok

Desde de março os moradores da Zona Oeste ficam literalmente a pé. Com o fim das atividades de duas empresas do Consórcio Santa Cruz, 38 linhas pararam a circular. O consórcio providenciou o retorno das linhas após muita reclamação dos usuários, mas o lado mais prejudicado ficou sem suas linhas principais. Enviamos correspondência à SMTR pedindo o retorno de linhas como a 689, 926, 737, 784, 684, 923 e 370. Somente na segunda quinzena o 689 retornou, mas para nossa surpresa o trajeto foi encurtado até somente Cascadura, enquanto o preço continua o mesmo. No fim de maio retornou a linha 926. Mas muito falta além de linhas que não retornaram, como uma melhora das linhas existentes, pois o espaço entre carros é demorado.

 

Integração Zero: Cadê o 739?

 

739 no coletivo micro onibus

739 no coletivo micro onibus

739 micro onibus

739 micro onibus

A linha 739 faria a verdadeira integração do bairro de Realengo. Infelizmente isso não ocorre por descaso da AUTO VIAÇÃO BANGU e por falta de fiscalização da SMTR.

Para solucionar este problema basta atender aos pedidos dos usuários da linha que são os moradores dos sub-bairros como Batan, Jardim Novo, Barata, Além do bairro de Padre Miguel.

Confiram a troca de emails entre a redação do Realengo em Pauta e a Secretaria Municipal de Transportes.

resposta da SMTR email do realengoempauta para SMTR resposta da SMTR

 

nas fotos abaixo a reprodução de aplicativos que monitoram localização dos onibus por GPS no Rio de Janeiro.

Captura de tela 2015-05-27 13.36.01 Captura de tela 2015-05-26 11.25.36 RP14-JUNHO capa

 

Resgatamos em nosso arquivo o que a leitora Cintia Pessoa escreveu em Fala Realenguense na nossa edição nº 7.

Sou professora, artesã, nascida e criada em Realengo. Vejo as dificuldades deste lugar durante quase toda a minha vida!

Um dos grandes sofrimentos vividos aqui é a situação dos transportes… Moro no Batam, estudo na Simonsen e não existe uma condução para ir até lá! Vou até o Centro do Rio numa condução só, porém, para ir para Padre Miguel, são duas! Ou então, caminhar bastante… Mas nem preciso ir “muito” longe: sou consumidora de uma loja de artesanato que fica bem próxima da praça de Realengo e tambémRealengo em pauta - tabloide -novembro-7 edicao preciso fazer caminhadas para chegar até lá, ou seja, de Realengo até o “outro” lado de Realengo. Dependo de kombis que vivem lotadas e, quem tem RioCard, não pode fazer uso pois as mesmas não aceitam esta modalidade de pagamento. E as crianças que estudam na Nicarágua? Bem, as mães colocam os filhos em escolas públicas e pagam transporte particular para que seus filhos possam estudar. Eu acho um absurdo! Ah, e os idosos? Esquece, esquecidos totalmente!

Existe também a dificuldade para ir até Marechal Hermes, ou até mesmo a escola Rosa da Fonseca. É a mesma situação. Tanto faz, 739 ou 820, não dão lucro, não é mesmo? A prioridade não é bem estar público e sim o lucro. Solução: ou pagar o que já relatei, transporte ruim de kombis, ir para a escola de carro particular e pago ou, mudar de bairro…

O tempo não me permite falar mais, porém temos também uma deficiência em lazer, comércio, escola…

Deixo aqui um abraço esperançoso de alguém que gosta muito de viver neste bairro e que crê nas mudanças.

Cynthia Pessoa

Moradora do lado Norte