142 mil m² de terreno baldio no coração de Realengo. Por quê?

E o bairro precisando de Cultura e Lazer e o País de mão de obra qualificada.

O Movimento Pró-Escola Técnica Federal na Zona Oeste/Realengo/RJ (fundado em 08/08/1983) tem projetos e propostas para o local, tanto quanto o IFRJ – Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, para parte dele.

O Blog Pro Realengo e o Jornal Realengo em Pauta em nome da população de Realengo solicita que a União (Governo Federal) , O Exército, Governo Estadual, Governo Municipal e o Poder Judiciário entrem em acordo urgentemente. Pois diversos projetos sociais podem ser implantados neste local.

Um Quarteirão cercado pelas ruas prof. Carlos Wenceslau(frente), Pedro Gomes(fundos), Gal. Sezefredo e Gal. Raposo pelos lados.

O local:

No terreno da antiga Fábrica de Cartuchos do Exército, existe muito espaço ocioso sendo tomado por mato e poças d’água enquanto que o IFRJ necessita ser ampliado e a população poderia ganhar um parque onde haveria Cultura e Lazer, num bairro carente de opções.

E recentemente o blog pode visitar com o Administrador Regional (XXXIII RA) Sr. Roberto Estrela junto ao Sr. Guilherme (Engenheiro do município responsável pela conservação e obras de Realengo) acompanhado por militares que estão responsáveis pelo local denominada Área 3.

Sr. Guilherme E,gº. do Municipio o representante do Exército, e Adm. Regional Roberto Estrela. fotos de Luiz Fortes
Muito mato e mosquistos. fotos de Luiz Fortes

Relembrando o caso: Esse terreno foi cogitado em virar condomínio por intermédio da POUPEX mas ações na Justiça Federal / IBAMA para preservar esta área verde, interromperam esta transação e posteriormente, uma lei municipal destinou o local, para serem destinadas ao ensino.

O Pró-Realengo e o Jornal Realengo em Pauta estiveram reunidos com lideranças do Movimento Pró-Escola Técnica Federal na Zona Oeste/Realengo/RJ e a direção do IFRJ (Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.)

Ampliação do Ensino Público em Realengo.

Professores Sandra e Jorge do IFRJ apresentam os planos. fotos de Luiz Fortes
Sra. Marta Maria e Ana Maria falam em nome do Movimento. fotos de Luiz Fortes

A instituição tem grande interesse em parte desse terreno

(ressaltou o Prof. Jorge Oliveira), pois comissões internas a qual ele fez parte no passado, já pensando na ampliação da grade como por exemplo a viabilidade de incluirmos o curso de Educação Física, no qual é necessário quadras e campos além de piscina e vestiário e com a cessão de 200 metros do terreno ao fundo já teria como implantarmos este e outros cursos além desafogar os cursos que já temos aqui e que são obrigados a estagiarem em outra campus. Vou dar um exemplo: a Clínica-Escola demanda alguns laboratórios que não foram construídos e o ideal e que fiquem no mesmo espaço, como por exemplo a do curso de Farmácia que foi implantado depois de já termos construído e foi adaptado no espaço que já tínhamos e com a ampliação do terreno acreditamos solucionar esses problemas.

Sandra Diretora do IFRJ-Campus Realengo.
Marcelo do (Realengo em Pauta) Conhecendo o Intituto. fotos de Luiz Fortes
A direção apresentou o prédio da futura biblioteca.

A atual diretora do Campus IFRJ/Realengo, Profª. Sandra da Silva Viana vê com bons olhos a possibilidade de expandir a área do Instituto pois a Educação Física e a Farmácia Horto podem ser colocadas em prática se tivermos espaço, pois atualmente estamos estudando a possibilidade de subir mais um andar para ampliarmos nossos laboratórios. Em breve iremos inaugurar nossa Biblioteca por enquanto destinada aos alunos e quem sabe no futuro abrir para a população.

Um bosque para Lazer com ciclovia e muito mais.

Detalhes do terreno da antiga Fabrica de Cartuchos. fotos de Luiz Fortes]
Muito espaço para se fazer muita coisa. fotos de Luiz Fortes
Muito espaço para se fazer muita coisa. fotos de Luiz Fortes

A Sra. Marta Maria Vieira de Melo e Ana Maria Pena Afonso que fazem parte do Movimento Pró-Escola Técnica Federal na Zona Oeste/Realengo/RJ disseram que o Movimento tem diversos planos para esta área 3, por exemplo um bosque, com áreas reservadas ao esporte e formar atletas e também com acesso a comunidade (o que vem ao encontro das sugestões recebidas no blog).

Inclusive existem negociações com o Instituto de Cardiologia de Laranjeiras e o Prof. Jorge acrescenta que também a UNIRIO e outros espaços destinados a saúde como o Instituto Benjamin Constant podem ocupar se houver a liberação do terreno.

O blog ressaltou que nós moradores queremos alguma coisa. O que não pode é esta imensidão de terreno ficar abandonado e proliferando mosquito e focos de todo tipo de doenças. E o desenvolvimento ficar somente no papel.

Realengo em Pauta perguntou em que pé esta o projeto implantação do curso de Educação Física?

O Prof. Jorge explicou que uma comissão interna preparou um projeto pedagógico para o curso funcionar fazendo um calculo de equipamentos e a quantidade de professores e funcionários que seria necessário e esta pronto mas depende da cessão do terreno para ele se tornar realidade. E isso esta dentro do acordo de metas assinado com o MEC que prevê a implantação deste curso entre outros, mas para poder se materializar precisamos de condições materiais e físicas, por isso precisamos desta área logo aqui atrás.

A preocupação do Governo Federal através do MEC é exatamente implantar cursos de licenciatura, ou seja, formar professores exatamente pensando no futuro do esporte na base do ensino púbico. E os cursos públicos de Educação Física mais próximos desta região são no Fundão ou em Seropédica e esta aqui seria uma ótima oportunidade para formar mão de obra qualificada.

Lazer para o povo e Estágio aos que se formam no Instituto.

Marcelo Queiroz do Realengo em Pauta: Se temos um projeto de um bosque que pretende promover o esporte e se tem ao lado um curso de educação física que vai criar mão de obra até para os alunos estagiarem. Como a sociedade de Realengo, junto com o Movimento Pró-Escola Técnica e a imprensa (jornal e Blog) podem ajudar para esta conquista para Realengo . Qual a posição oficial do Instituto?

Profª Sandra diretora do IFRJ-Realengo disse que gosta de trabalhar pensando a curto, médio e longo prazo. E a educação Física eu classificaria como longo prazo, mas a batalha pelo espaço precisa estar definida.

A primeira coisa é implantar o ensino técnico aqui e consolidar estes três que já temos de ensino superior; inclusive este ano já estamos formando as primeiras turmas, de Farmácia e Terapia Ocupacional, que carinhosamente chamamos de os “primeiros filhos”, já estão entrando no mercado do trabalho.

A gente tem alunos que falam que os nossos cursos tem mudado a vida deles, eles tem passado em primeiro lugar em diversos cursos que concorrem.

Pró-Realengo / Realengo em Pauta: Convocamos toda a população e os movimentos culturais principalmente para que abracem esta luta que começou a muito tempo, já temos um fruto de nove anos que é o Colégio Pedro II e ainda temos outras conquistas que só ocorrerão com a sociedade unida.

Realengo não tem transporte e tão pouco, estrutura de esgoto para mais um condomínio na região. Que serão bem vindos se estes itens forem supridos.

Antonio Palmeira um dos lideres do Movimento Pró-Escola Tecnica. fotos de Luiz Fortes

Antônio Palmeira que é um dos fundadores do Movimento Pró-Escola Tecnica concorda com tudo dito anteriormente e acrescenta por email.:

Prédio tombado do Antigo Cinema de Realengo. fotos de Luiz Fortes

Precisamos solicitar ao Sr. Prefeito que agilize a municipalização do Hospital Albert Schweitzer conforme compromisso de campanha bem como negocie com os proprietários sobre o retorno do CINE TEATRO Realengo para a administração municipal como espaço de cultura pública cumprindo o previsto em lei municipal em vigor, pois além de ser imóvel tombado, é destinado as ações públicas de cultura da região.

Em tempo: O Sr. Antonio disse que atualmene está apoiando as reivindicações dos moradores de Magaçhaes Bastos, que poderão ter suas casas desapropriadas pela prefdeitura, por conta do traçaddo da Transolimpica, mesmo tendo terrenos do Exército que poderia e estavam cotados para sere usados e agora não mais serão.

A campanha por este espaço é de todos os moradores e de todas as vertentes sociais que desejam um Realengo melhor. Junte-se a Nós! Comente abaixo ou envie um e-mail dizendo eu apoio! E ao fazer isso incluiremos logo abaixo desta postagem seu nome na lista abaixo-assinado.

Assinam embaixo: Luiz Fortes, Marcelo Queiroz, Flavio Aguiar,…..

Dois anos de uma tragédia e um grande descaso das autoridades.

No dia 07 de

abril de 2013 completaram dois anos da tragedia de Realengo, e foi celebrada uma missa organizada pelo movimento da mães que perderam seus filhos e que além disso ainda precisam lutar contra o descaso dos políticos que não cumprem as obrigações que o município teria de assumir para com os familiares em diversos aspectos.Contou com a presença de alunos, familiares diversos órgãos da imprensa e lideres de movimentos humanitários e políticos e organizações não governamentais.

A cerimonia religiosa foi presidida pelo Monsenhor Luiz Antonio Lopes Pereira de Vigário Geral e Pároco Luiz Carlos na Igreja Nsª de Fátima e São João de Deus. no Jardim Novo.

O Jornal Realengo em Pauta e o Blog de Realengo estiveram presentes e em conjunto produziram este material.

Marcelo Yuka
disse que as famílias não estão tendo suporte algum seja psicológico ou na saúde física também. Fora a questão de tentar remover lá do cemitério Jardim da Saudade, na hora de enterrar logo depois do acontecido levaram para um cemitério próximo e teoricamente bonito e agora passado dois anos estão tentando remover, Elas estão certas, eu estou aqui com elas e por elas, pelas famílias pois tem um montão de revindicações que o municipio não vê. (Marcelo Yuka – ex baterista do Grupo o Rappa e que ficou paraplégico devido a um tiro recebido durante um assalto no Rio de Janeiro).

LEMBRAR É REAGIR, ESQUECER É PERMITIR. foram palavras repetidas diversas vezes e que devem ser lembradas.

Adriana Silveira uma das mães que estão a frente do movimento que cobra as ações não só prometidas  pela prefeitura mas que realmente são de sua responsabilidade.

Perguntamos a ela sobre a questão de mudança no local onde
foram enterradas.

Sim fomos comunicadas que somente seria por trés anos nem o município nem nós alugamos ou compramos os túmulos ai terá que ser feito a remoção. E já entramos com um pedido no qual a organização os 12 Anjos, solicitamos que elas não só permaneçam lá mas que possamos trazer as outras crianças para um só lugar e enfim o acessor do prefeito disse que iria tomar providência e que marcaria uma reunião comigo mas eu quero tudo documentado.

dois-anos00104

Tania Lopes, irmã de Tim Lopes (jornalista torturado e morto dentro da Vila Cruzeiro) Eu estou muito preocupada de que essas família continuem tendo seus atendimentos psicológicos o apoio para seus filhos para família toda, irmãos dos falecidos e os sobreviventes acho que isso tem de ter.
Mas eu acredito nas entidades formadas pela população eu sou militante, mesmo antes de ser militante contra a violência após a morte do Tim, eu já
militava do Movimento de Mulheres ligadas a entidades grandes como a Articulação de Mulheres Brasileiras, então eu só acredito nesse movimento na união de todos os setores da sociedade, porque só essas doze famílias não vão conseguir nada sozinhas, é preciso que todo mundo adere, somando de alguma forma, se não for feito dessa forma essas pessoas perdem as forças, pois com a dor toda que se tem no peito não é brincadeira e tem de estar o tempo todo sendo estimulada apoiada para que não esmoreça, e a gente tem de estar junto como cidadã.

Lucas aluno da Tasso faz um emocionante desabafo.

As escolas da cidade e da Zona Sul precisam de segurança tanto quanto as nossas aqui da Zona Oeste, é preciso que aconteça outra tragédia para que se ponha segurança que precisa ter, a educação que precisa ter, a reforma que precisa ser feita, construir um prédio para não ser usado…um prédio só para mostrar que fez a revolução da escola, o espirito da escola e os alunos somos cada um de nós, que vamos para a escola estudar com força de vontade não por sermos obrigados, estudamos para sermos alguém na vida estudamos hoje para sermos futuros professores, futuros policiais e também vamos para a escola, não para discutir, não para brigar , não para bater, não para brigar…vamos brigar sim pela educação , por um mundo novo um mundo
melhor, não vamos para discutir por causa de namorada, não vamos xingar a mãe de ninguém nem o pai de ninguém, nós vamos para a escola por uma educação melhor , por um mundo melhor para que jamais aconteça em escola nenhuma o que aconteceu conosco temos de lutar pela segurança, pela nossa educação pela educação nas outras escolas também, pela nossa segurança pela segurança detodos em todos os lugares não só nas escolas. Esse é um pedido que fazemos aos governantes, aos políticos, agora que estamos chegando perto da nossa escola, onde aconteceu esse fato terrivél que marcou nossas vidas para sempre.


Vejam mais fotos em nossa pagina do Facebook: http://www.facebook.com/media/set/?set=a.399192566845280.1073741827.100002636209945&type=1

UPP Batan: INAUGURAÇÃO DA BASE AVANÇADA ÁGUA BRANCA

INAUGURAÇÃO DA BASE AVANÇADA ÁGUA BRANCA

GEDSC DIGITAL CAMERA

Sérgio Cabral discursa para moradores.

GEDSC DIGITAL CAMERA

José Mariano Beltrame, ao fundo Cabral e Pezão.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Apresentação da tropa.

 

 

 

 

No dia 05 de outubro a Coordenadoria de Polícia Pacificadora concluiu a ocupação do antigo Fumacê, com a inauguração da base avançada da Água Branca, novo posto de policiamento da UPP Batam. A solenidade de inauguração aconteceu na Rua Ranulpho Bocayuva Cunha, em Realengo, contando com as mais altas autoridades do Governo do Estado do Rio de Janeiro, como o governador Sérgio Cabral, seu vice-governador Pezão, o secretário de segurança pública José Mariano Beltrame, da chefe de policial civil Martha Rocha, do Cel. Erir Ribeiro Costa Filho, comandante da Polícia Militar, do Coordenador das UPP’s, Cel. Rogério Seabra, do Cel Fontenelli, comandante do 14º BPM , de diversas  autoridades civis e militares, bem como do comandante da UPP Batam, capitão Marlow Rodrigo da Silva, e o subcomandante tenente Juliano Correa.

 GEDSC DIGITAL CAMERA GEDSC DIGITAL CAMERA uppaguabranca901

A ocupação

A instalação do posto avançado atendeu a um pedido dos próprios moradores. Após estudo da Secretaria de Segurança (Seseg), com o apoio da Policia Militar, foi definida a logística operacional, o efetivo e a implantação da base. A ocupação ocorreu no dia 17 de agosto pelas forças policiais (UPP Batan, Batalhão de Choque e Batalhão de Ações com Cães). A localidade passou a usar o antigo nome Água Branca, passando a integrar a área da UPP que já possui uma base avançada na comunidade de Corinto.

 uppaguabranca1101 uppaguabranca1001

“Com a instalação da base avançada de Água Branca teremos a oportunidade de estender os projetos sociais e esportivos desenvolvidos no Jardim Batam para a nova comunidade  atendida. Estamos prontos  e à disposição dos moradores para estabelecer a aproximação com essa população, que somada as comunidades adjacentes, chegam a aproximadamente 29 mil moradores, de acordo com dados do Instituto Perreira passos(IPP)” ressalta o capitão Marlow Rodrigo da Silva, comandante da UPP Batam.

 O efetivo da UPP Batam passou de 106 para 146 policiais e recebeu ainda mais 02 viaturas.

  A solenidade

 A cerimônia teve início com a chegada da comitiva do Governador Sérgio Cabral, que chegou ao local acompanhado pelo vice-governador Pezão e o secretário de segurança José Mariano Beltrame. No local já se encontravam o comandante da PM CEL Erir Ribeiro e a Chefe de Policia Martha Rocha e o Cel Rogério Seabra coordenador Geral  das UPP e a Banda da Policia Militar.  O subcomandante Juliano Correa comandou a apresentação de Tropa, após os discursos das autoridades presentes a começar pela benção do capelão da PM.

 Crianças fazem a festa na inauguração

No dia da inauguração as crianças da comunidade foram agraciadas com GEDSC DIGITAL CAMERAbrinquedos da UPP e várias delas fizeram questão de tirar fotos com as policiais e os comandantes da UPP e o coordenador geral das Upp’s. Houve a promessa, por parte das autoridades, de que os projetos sociais – como por exemplo, as aulas de Jiu-Jitsu, esporte praticado na sede do Batan – serão estendidos para a Água Branca.

 UPP Batan

 uppaguabranca701Inaugurada em 18 de fevereiro de 2009, a UPP Batan foi a 3ª unidade  a ser instalada pelo programa de pacificação e atende ainda à Vila Jurema e ao Conjunto Habitacional dos Ipês. Atualmente, a unidade possui diversos projetos sociais e esportivos e disponibiliza um programa de atividades físicas para idosos.

 Curiosidades

 O nome da base (Água Branca) foi escolhido pelos próprios moradores, devido á proximidade com a Estrada da Água Branca e do conjunto habitacional  que leva o mesmo nome. De acordo com os moradores, a escolha é para desvincular a população da localidade conhecida como Fumacê, estigmatizada por freqüentes ações de criminosos. Já o nome Batan é derivado da árvore Urubatã que existia no local durante a ocupação popular.


Na ocasião da inauguração da UPP da Água Branca, nos deparamos com este monumento que é uma homenagem do Exército.

GEDSC DIGITAL CAMERA GEDSC DIGITAL CAMERA

Texto da placa:

FORÇA EXPEDICIONÁRIA BRASILEIRA

HOMENAGEM DA FEB.

O Capitão Antônio Alvares da Silva. Frei Orlando , era Capelão do 2º Batalhão do 1º Regimento de Infantaria, quando faleceu em ação às vésperas da conquista de Monte Castelo, no dia 20/02/1945 tornando-se patrono do Serviço de Assistência do Exército.

Seria ótimo se neste monumento fosse feito uma revitalização.

Composto de Placa descritiva, um Capacete e 4 artefatos de tiro.

CONSELHO COMUNITÁRIO DA UPP BATAN

CONSELHO COMUNITÁRIO DA UPP BATAN 02/10/2012

A reunião do conselho comunitário do Batan começo com o Cap. Marlon dando boas vindas a todos e solicitou que a soldado Debora fizesse a leitura da ata da reunião anterior. Foi então formamada a mesa presidida pelo Cao. Marlon e tendo a presença da  representante da UPPsocial da PCRJ Teresa Labrunie, de Cynthia Nascimento (projeto territorio da Paz) Clarisse (CRAS), Sr. Carlos Augusto representando a associação de moradores do Batan e o Sr, Jorge pela Cet Rio.

O cap. Marlon iniciou falando sobre a sua chegada a UPP Batan e a ocupação do Fumacê que de agora será chamado de Agua Branca. Falou sobre o aumento de efetivo de 20 homens subindo de 127 para 147 e tendo recebido também 02 viaturas. Disse que está trabalhando para trazer aulas de balé para a comunidade e que ocorrerá a inauguração da UPP Agua Branca. Informou também que ocorrerá uma ação global em cada UPP.

O Cap. Marlon franquiou a palavra a sr.ª Isabel da Firjan que explicou sobre o projeto Investe-Rio) Informando que as pessoas interessadas em obter microcredito poderão procurar o sr. Weber que está todos os dias na tenda junto a porta da UPP no horario de 9h ás 17h.

O sr. Jorge falou sobre as solicitaçãoes de quebra-molas nas principais da comunidade e que existe um estodo e que seria necessário a obra de urbanização do local. E que ao analizar essas solicitações a prefeitura analise também os casos de atropelamento registrados pela CetRio. E informou que já foi solicitada a pintura da rotula na estrada do Engenho.

Foi colocado os problemas de transito como de carros mal estacionados, bem como abusos de pessoas  que trafegam de moto. O sr. carlos Augusto exclareceu que os moradores deviam da o exemplo e que nem sempre encontra eco nesses moradxores. E que a G.M ainda não deu resposta para a associação. Cynthia informou que ainda não foi possível incrementar o ensino a distancia na comunidade e que os interessados deverão procurar o plo da Silva Cardoso em Bangu.  O cap. Marlon falou que que recebe  queixas sobre o campo de futebol. O representante do campo falou que lá existe 2 projetos: o projeto Zico e o Rio em Forma e que não tem como controlar os que jogo que occorem de madrugada. Ouve reclamção contra o motel Espinha que encontra-se abandonado e vira area que os drogados utilizam para consumir drogas. Outro ponto que merece a atenção da UPP é a passarela já que tem registrado casos de furto em diferentes horas do dia. A srª Margarete , mãe representante do Colegio Costa do Marfim reclamou que a escola esta muito suja e pede que a comlurb faça algo na região interna do colegio. O representante da Comlurb informou que a aprte externa está sendo limpa, mas que a parte interna é um grupamento especial e que deveria cobrar na 8ª CRE. A propria soldado Debora ratificou a informação da moradora dizendo que em relação a outras escolas a Costa do Marfim é a que tem o aspecto mais sujo. A mão representante informou que já foi feito um abaixo-assinado e que foi entregue na 8ª CRE. Alguns moradores reclamaram que na localidade de morrinho acima da Casa da Shallow tem tido constante som alto após 22h funks. O Cap. Marllon informou que terá atenção com essa situação do morrinho e que lá será realizado a festa das crianças.

mesa do conselho

Colocou os telefones da UPP a disposição, sendo o  cel 8596805 que é de pronto atendimento e o da sede UPP 23334985 e também informou o do disque-denuncia caso alguem deseje contribuir para alguma denuncia pelo22531177. Ao fim o Cap. Marlon agradeceu os presentos a presença e convidou para a inauguração da UPP Agua Branca (antigo Fumacê)

Weber do Invest Rio

Ao Final o Cap. Marlon nos concedeu entrevista e colocamos aqui o audio da mesma.Cap Marlon UPP BATAN

Reunião da conselho de Segurança da 14ª AISP no 14º BPM

No dia 27/09/2012 no 14º BPM ocorreu a reunião do mês de setembro do conselho de segurança da 14ªAISP. A mesa foi formada pelo presidente do Conselho Sr. Candido Rodrigues, O Comandante do 14º BPM o Ten.Cel. Alexandre Fontenelli, o Inspetor Isaias pela 33ª DP, O Inspetor Joel pela 34ªDP e s.r. Paulo Silveira pela Comlurb, inspetor Jodimar pela  5ª IGM, o Major Lima Paiva pela 1ª DE e o S.r. João Galdino representando as comunidades.

Abrindo os trabalhos o presidente Candido passou a palavra para Ten.Cel. Fontinelli, após saudar os presentes e falou que o Batalhão é a casa das comunidades. Em seguida o Inspetor Isaias fez o uso da palavra dizendo do prazer de estar ali representando o Delegado Carlo Augusto que se encontra de férias. A palavra foi franquiada ao Inspetor Joel que pede calma neste momento de eleição. Estando a disposição dos presentes.

O Sr. Galdino representando a comunidade  pela associação vila pro melhoramento. Ele saudou o público e aproveitou para convidar para reunião de meio ambiente no dia 11/10/2012 as 17 horas no auditório do Waldir Franco e salientou que lá estava tambêm representando o Parque municipal do Mendanha. O Inspetor da Gm. Jodimar saudou o público já falando sobre uma demanda do Sr. Vladimir sobre pedido de colocação de sinalização na Rua Francisco Real (demanda de março). O Sr. Paulo Silveira da Comlurb. Deu bom dia aos presentes e manifestou ser este conselho o mais atuante do município. O Major Lima Paula falou do prazer em ter sido convidado pelo Ten.Cel. Fontinelli. O presidente passou a palavra para o secretário Alberto para leitura da ata e o mesmo informou que devido a problemas na internet a ata não poderia ser lida. Qualquer duvida o secretário solicitou que os presentes acessassem o portal do Blog de Realengo que faz a transcrição da reunião do conselho.

Retomando a palavra o presidente anuncio a presença do Sub-comandante da UPP Fumacê Ten. Juliano. Anunciou também a presença da Srª Claudia da CAS e a Sr.ª. Jeusi Monica pelo Abrigo Realengo. O Presidente elogiou o policiamento no jogo do Bangu e América apesar das brigas entre torcidas que foi fora do local onde se realizou o jogo. Menciona também o trabalho da Chefa de Policia Martha Rocha no combate as brigas de torcidas. O Ten.Cel Fontinelli informou que a PM tem um Grupo especializado neste segmento.

Depois começou a leitura das demandas entre as quais: estacionamento irregular na travessa morais Realengo. Solicitação de troca de quebra-molas na Rangel Pestana. Atuação da operação contra 2 rodas sendo perguntado quando vai voltar. Coleta de lixo na R. Rio da Prata e solicitação de colocação de placa de ponto de ônibus na rua dos limites. Sendo as demandas encaminhadas aos órgãos competentes.

A Sr. Jeusi Monica do abrigo realengo agradeceu a atuação dos policias do DPO Cohab em uma ocorrência no Abrigo Realengo.  O Conselheiro DODA fez 2 registros importantes. O Dia do policia Civil dia 29 de setembro e o inicio do conselho em 1999 quando o conselho era realizado no batalhão e que o presente Major Raimundo era Tenente na época. Faz a menção da atuação em prol do conselho da Drª.  Marcia Julião e do Comandante Villaça.

Fazendo o uso da palavra o Major Edson apresentou levantamento demostrando que em relação ao ano passado tivemos uma queda na violência. Casos Letais de 24 em 2011 para 12 em 2012.  Roubo a residências 293 em 2011 e agora em 2012 298. Roubo a carros 113 em 2011 e agora 2012 97. Temos uma tendência de queda, levando em conta o aumento da população.

Foi mencionado a conquista de uma base do batalhão florestal na sub-sede do Barata do parque da Pedra Branca. 

Os presentes foram breves nos agradecimentos finais. Mas o Ten.Cel fez questão de agradecer o Major Lima Paiva da 1ª DE pela parceria que possibilitou ações conjuntas no conserto de armamentos do 14ªBPM. O Ten. Juliano falou da inauguração da UPP Fumacê e deixou o seu celular a disposição da comunidade 85968592. Após fazer o costumaz sorteio de brindes o presidente agradeceu a presença de todos e anunciou que a próxima reunião será dia 25 de outubro no conjunto da marinha.

Comlurb distribui contêineres feitos com matéria prima renovável em Realengo e Copacabana

No próximo sábado, dia 05/05, a Comlurb começa a entregar os contêineres em Realengo e em Copacabana, que irão melhorar a limpeza urbana da cidade . Essa é a continuidade de distribuição de 50 mil contêineres, iniciado no mês passado, quando cinco mil desses recipientes foram apresentados à população do Rio.

Em Realengo o evento acontece às 10h na Rua Capitão Teixeira, 382, bloco 37, onde 392 contêineres serão distribuídos por 98 blocos de apartamentos do Conjunto Habitacional Capitão Teixeira, beneficiando mais de 15 mil moradores. A população já está comemorando a novidade. Chegando Surpresa e Renato Sorriso estarão animando a festa e conscientizando a população sobre o descarte correto do lixo, sob o comando da diretora Joyce Sholl.

Em Copacabana a distribuição de 84 contêineres acontece no mesmo horário, na Praça do Lido, atendendo aos principais condomínios do bairro, sob o comando do diretor Luis Guilherme Gomes.

A novidade desses contêineres é que são produzidos na França, feitos de plástico verde, o polietileno 100% fabricado a partir da cana-de-açúcar, pela empresa brasileira Braskem. Os novos equipamentos possuem uma “pegada de carbono” muito inferior àqueles fabricados com polietileno derivado do petróleo, o que atesta o comprometimento da COMLURB com sua agenda de sustentabilidade, estabelecida em consonância com a realização da Rio +20.

São numerados, para controle de sua distribuição em toda a cidade, e trazem muitas vantagens, especialmente para os garis, que despenderão menor esforço físico durante a coleta, terminando sua jornada de trabalho em menos tempo.

Os contêineres contribuirão para a melhoria das condições higiênicas, estéticas e sanitárias da cidade; as tampas evitam a atração e proliferação de vetores, como ratos, mosquitos e baratas, e impedem a entrada de água da chuva e a consequente formação do chorume, podendo ser guardados nas áreas internas dos prédios até o momento da coleta. A moderna programação visual, cor laranja, com tampa azul escuro, também é mais um atrativo a mais que contribuirá para a identificação do resíduo domiciliar.

Esses recipientes estão sendo distribuídos conforme logística da Comlurb e serão acompanhados de um termo de responsabilidade, explicando sua funcionalidade e que deverá ser assinado pelo responsável do domicílio, que se responsabiliza, assim, pela manutenção do equipamento. A previsão é que até o final de julho todos estejam distribuídos por pela cidade.

Show da Claudia Leitte na Arena Music, é cancelado em cima da hora

catiaeisabela

Isabela Mascarenhas e Cátia Bocage.

Cátia Bocage (moradora de Bangu) e Isabela Mascarenhas (moradora de Realengo) Estavam presentes na hora do show. Foi um absurdo uma falta de consideração, nem ingresso na hora foi devolvido mesmo se houve a possibilidade de não haver o show deveriam comunicar antes. É ou não é uma falta de respeito uma falta de amor mesmo com as pessoas? Afinal nós nos despencamos até ali, ficamos parados muito tempo na porta, por mais de duas horas de espera. Ninguém avisou nada previamente e mesmo assim quando avisaram não houve uma postura, cada um dando seu jeito procurando da forma mais rapida possível para ir embora e obter o seu dinheiro de volta. Não teve como. Falaram o seguinte volta na bilheteria e recebe seu dinheiro, a gente retornou e disseram que não houve nenhuma noticia, no mesmo ambiente não teve uma comunicação, ou seja, além de mal gerido é mal organizado. Realmente perde credibilidade e a nossa presença pois aqui não volto mais.

mariadocarmo
Maria do Carmo botando a boca no trombone.
 Maria do Carmo (moradora de Realengo) Bom, fiquei sabendo por um colega meu que trabalha na segurança, antes mais cedo umas 4 horas da tarde, ele tinha avisado que a previsão era que não teria o show, eu perguntei por quê? E ele disse que teve um problema não se sabe qual. Quando deram umas seis horas, tivemos a confirmação que não iria ter, eles se reuniram com os seguranças e ele falou realmente foi cancelado que seria bom até ir
 

embora, não ficar aqui pelo fato de poder haver confusão. Nós ficamos para esperar para saber se iriam devolver o dinheiro na hora e como iria ser e meu colega Renato foi lá e falou com os seguranças e eles falaram para irmos amanhã ao local que compramos os ingressos e que talvez fossem devolver que era pra gente correr atrás. Foi muito chato, pois não é a primeira vez que acontece isso aqui. Logo na estreia já houve cancelamento, o Raça Negra não veio, assim suja a imagem da casa de show que teria tudo para ser uma casa legal em Realengo também. Renato (morador do Barata) Eu fiquei até indignado porque a menina é fã de Claudia Leite dessas de chorar e ela estava num canto chorando porque a cantora não tinha vindo. Acaba suprindo a expectativa do artista vim e tal ai chega a artista não vem. A pessoa fica decepcionada.

fasdesolados-09
Rodrigo, Jessica e Alan.
 Rodrigo, Jessica, Alan (moradores de Deodoro) Chegamos aqui umas cinco horas e ficamos aqui fora curtindo e tudo aberto ainda. E na hora de todo mundo entrar, não vai ter mais, que não tinha alvará e nem nada. Como é que organiza um evento sem alvará já que é uma casa de show Arena Music. Jessica conta que comprou o ingresso nas mãos de circulantes com camisas da Arena Music pagou R$ 50,00, na loja custava R$ 25,00 sendo dois ingressos R$ 100,00. Rodrigo fala que quem vende na loja ganha uma pequena porcentagem e que tem obrigação de devolver é a casa de show Arena Music. Pediu para falar com os organizadores e só tinha segurança. Eles falam que pensam em acionar judicialmente por danos morais e propaganda enganosa.

O Realengo em Pauta flagrou a desordem que se instaurou no local. vejam as fotos no slide show.

[slideshow id=7]

[nggallery id=7]

Texto do comentário: Boa tarde! Procurei pelo site do Arena Music de Realengo, mas infelizmente não encontrei.
Bem preciso falar com alguém responsável imediatamente.
Minhas duas filhas e duas sobrinhas compraram o ingresso pra assistir Clauda Leite e Preta Gil, porém na hora de entregar o abada foi um sufoco. parecia que elas estavam pedindo esmolas.Primeira a promessa de entregar os mesmos três dias antes do show, o que não aconteceu. Ficaram de entregar no dia anterior e minhas filhas e sobrinhas foram pro local de manhã,ja passava das 13hs e mandaram todos irem embora e voltar mais tarde um pouquinho. Voltaram depois das 17hs. Passei la por volta das 19 hs e nem sinal de entrega. Ja passavam das 21hs quando os abadas foram entreguem em meio a uma confusão. No dia seguinte, que deveria ser o show, as meninas chegaram la e para grande surpresa o show foi cancelado.
Agora o que elas estão vivendo é o dilema de pegar o dinheiro delas de volta e não  conseguir. Elas não tem todo tempo do mundo disponível e falei pra elas não irem mas. Agora eu quero dia e hora marcada pra EU ir buscar o dinheiro, pois esse local, sem organização, minhas filhas não frequentarão nunca, ja que era a primeira vez que elas davam prestigio ao bairro.
Por favor peço que alguém responsável por aquele lugar me mande um e-mail até terça dia 24/04/2012 a noite, pois depois sera tarde demais.
Agradeço a atenção,
Sandra

Edição nº 6: Rio Catarino – Descaso que gera tragédias.

RIO CATARINO: DESCASO QUE GERA TRAGÉDIAS

O Rio Catarino, localizado no bairro de Realengo, tem gerado muitos problemas para a população do bairro, que varia de enchentes até acidentes que causaram mortes. Em meio à situação, muitos são os envolvidos para tentar solucionar o caso, porém com muitas tentativas em vão. O descaso dos órgãos públicos gera cada vez mais transtorno para os moradores, que não tem nenhuma previsão de resposta e se encontra “às escuras”.

Mesmo depois de aproximadamente 6 anos de luta, os moradores do bairro de Realengo ainda enfrentam muitos problemas causados pelo Rio Catarino, que nasce na Serra do Barata (Maciço da Pedra Branca) e deságua no Rio Marinho junto a Av. Brasil, passando por ruas como Olímpia Esteves (atravessa), Luiza Barata,  cruza a Limites, passa na Castelo Branco mas ali é canalizado, e profundo, somente o odor incomoda, Av. de Santa Cruz e Bernardo de Vasconcelos, atravessa a linha férrea e causa estragos na comunidade Malloca. A cada ano que passa, a situação se agrava ainda mais, principalmente em épocas de chuvas constantes, onde o rio transborda causando muitas enchentes e até mortes por onde passa.
Foi pensando nisso que alguns moradores do bairro se uniram em prol da causa, criando o SOS Catarino, um movimento popular que existe desde 2007, e serve para alertar e comunicar as autoridades sobre a situação problemática do Rio Catarino, que atualmente também conta com o apoio a AMPARA (Associação Movimento de Preservação Ambiental de Realengo). Depois da criação desse projeto, alguns contatos foram realizados com autoridades, que em meio a certa burocracia, demonstram certo descaso com a situação.

Para saber mais como anda o processo de recuperação do Rio Catarino, buscamos falar com algumas pessoas que se encontram engajadas ao projeto, e moradores que sentem na pele os problemas causados pelo rio.

Uma dessas pessoas foi o presidente da AMPARA, Marcos de Moraes, que relata alguns acontecimentos e a posição dos órgãos públicos sobre o caso. Porém, o problema parece nunca ter a desejada solução. “Desde 2007 pra cá, nada evoluiu. O que nós conseguimos, foi uma intervenção do Ministério Público, com assuntos relacionados a ação civil publica, mas somente solucionando o problema em apenas uma parte, que não é o que queremos, e sim, uma solução para todos”, disse Marcos. E com a solução do problema sendo sempre adiada, este vai tomando proporções ainda maiores. “A cada ano que passa, a enchente do rio parece ir mais adiante. Hoje em dia ela pode ir até a Praça Padre Miguel no centro de Realengo,  comentou.

A solução apresentada pela Prefeitura para a recuperação do Rio Catarino seria a canalização do mesmo, o que não seria o ideal, pois “mataria o rio”, disse Marcos. E acrescenta: “A solução que temos hoje não é a correta, que é jogar o esgoto em outro local, pois assim só estamos mudando o problema de lugar. O que deve ser feito é um tratamento do esgoto, antes dele ser despejado no rio, como se diz que é feito em Jacarepaguá, por exemplo. Essa solução seria a ecologicamente correta.” Com tantos pedidos de ajuda e nada ainda feito em prol da causa, ficamos nos questionando: Será que existe, de fato, uma predisposição do poder público para solucionar o caso? “Aparentemente não existe.

Em 2008, foi realizado pela AMPARA um seminário junto à população, para discussão do caso. Em meio a tantas mudanças de projetos, em que algumas alterações e informações ainda nem foram divulgadas, o presidente da Associação de Preservação Ambiental comunica que irá realizar em breve um novo seminário, a fim de deixar a população a par da situação do Rio Catarino. “Iremos realizar um novo seminário, e quem sabe convocar alguma autoridade responsável pelo caso. […] Devemos alertar que o problema não é resolvido rapidamente. Algumas pessoas têm essa consciência, outras já querem uma solução imediata. Dependemos de verbas, de vontade política. É tanta coisa que não pode ser resolvido rapidamente”, declarou ele.

Alguns problemas que o Rio Catarino apresenta não são somente originários dele. Muitos outros rios não só do bairro de Realengo, mas também são causados por rios que se encontram ao redor dele. E além de Realengo, problemas como esse estão espalhados por todo o estado do Rio de Janeiro. Existem também as construções irregulares, feitas nas margens dos cursos d’água, e o lixo jogado dentro deles, que agrava, ainda mais o caso. Muitos falam em uma possível drenagem do Catarino, para solucionar a situação. Porém, a drenagem causaria impacto ambiental no mesmo. “Embora o rio não possua vida, ainda sim existe um impacto ambiental no solo dele, por exemplo. A drenagem é uma solução aleatória. Não resolve, mas ameniza o problema”, diz Marcos. “O ideal também seria uma manutenção periódica do rio, retirando o lixo dele, assim diminuindo o impacto que ele tem no caso de uma enchente” acrescentou, devido a uma observação feita pela Comlurb, órgão que seria responsável pela manutenção do rio, que declarou que não seria possível a manutenção do rio, devido às construções em sua margem, e o espaço que não comportaria as máquinas necessárias para tal limpeza.

O Rio Catarino não possui uma grande extensão, porém passa por muitas ruas de Realengo, e em certos pontos, devido a sua extensão não ser sempre estável, contendo algumas alterações como curvas, e profundidade maior em certos pontos, acaba causando um impacto maior em certos pontos. De acordo com informações dadas por Marcos, os locais que são sempre mais atingidos severamente são: Condomínio da Rua Limites, devido a grande concentração de moradores que sempre ficam ilhados quando ocorrem enchentes, e onde também já aconteceu acidentes; Rua Nepomuceno, pois é uma área mais baixa e mais propícia a enchentes, e onde o Rio Catarino apresenta mais curvas e bancos de areia; Rua Bernardo de Vasconcelos e Av. de Santa Cruz, pois são ruas de mais movimento de trânsito, e Maloca, por ser uma área onde existe muitas casas localizadas perto do rio.

Enquanto procuramos a melhor alternativa para ajudar o Rio Catarino, sua situação se complica cada vez mais. São muitos os órgãos públicos envolvidos ou entidades fundadas pela própria população. Mas o que temos ter em mente, é que a solução começa sempre com os próprios moradores, que devem cada vez mais se conscientizar da situação, e não jogar lixo no rio, por exemplo. Além disso, devemos sim, cobrar soluções dos órgãos responsáveis pelo assunto, pois são formados por pessoas eleitas pela própria população, e é dever deles tomar medidas para garantir o bem estar da mesma. A solução do problema vem sempre das duas partes.

Por Laís Brites

MALOCA

O rio que nasce na serra do barata e corta o bairro de Realengo passa pela favela Vila Vintém. Nossa reportagem percorreu as vielas da maloca com o Líder comunitário Sergio Amorim e vimos em Loco os transtornos que o rio e suas cheias causam na população carente. Nosso passeio pela maloca com Sergio Amorim começou pela Travessa Imperador, rua rente a linha do Trem, por onde o rio passa abaixo doa trilhos.

Logo no Início um morador nos leva a uma casa onde um jovem chamado Marcio Leandro contraiu dengue. A doença foi diagnostica pelo PAM Bangu. Agora é monitorado pelo posto de saúde com a administração de soro fisiológico. Segunda a tia de Marcio Leandro, dona Celia existe outro caso, na esquina da mesma rua.

Sergio Amorim nos leva a localidade da Maloca. Lá o líder comunitário conseguiu obras em 2003/2004 para calçamento. Junto a uma pequena ponte que atravessa o rio Catarino constatou que o leito do rio é bem espremido pela e que o curso de agua  está muito próximo da margem (cerca de 50 cms.) Qualquer chuva já transborda o rio e as enchentes trazem danos aos moradores. Com a casa grudada no rio Dona Regina aponta aonde a agua chega e diz que perdeu todos os moveis.

Ainda na maloca encontramos o agente de saúde Fernando. Ele nos relata que os problemas de saúde são constantes. A localidade tem muitas crianças que brincam quando ocorre cheias e depois aparecem as doenças de pele, diarreias e a dengue.

Já chegando à rua mesquita, a comerciante Cyntia, aponta o local que a agua do rio alcança quando enche e que muitos moradores perdem moveis e eletrodomésticos. Em todo o curso do rio, nossa reportagem identificou a sujeira, lixo e falta de conservação em todo trajeto do rio.

Em nossa conversa com Sergio Amorim, ele diz estar tentando com a Rio Aguas a canalização do Rio Catarino e que o projeto não tiraria os moradores doa margem do rio.

Por Marcelo Queiroz

 

[nggallery id=5]

Edição nº 4: PREFEITO VISITA BASQUETÃO E PROMETE OBRAS.

Em Julho de 2011 o Realengo em pauta noticiou isso:

Realengo em Pauta acompanha a visita do Prefeito a Realengo.

Visita do Prefeito no Basquetão em Realengo (lado Norte), o Vereador Jairinho disse que com o Eduardo, eles (os políticos) têm conseguido melhorar a qualidade de vida das pessoas quePrefeito Eduardo Paes no Basquetão em Realengovivem aqui, a Zona Oeste tem tido outra cara e nem mesmo nos meus melhores sonhos eu imaginei que pudesse demandar com o Prefeito da Cidade num domingo de manhã, para ver de perto os problemas das pessoas que mais precisam, que são as pessoas da zona oeste, que estão trabalhando e batalhando melhorias do poder publico. E dirigindo se ao prefeito disse: Nós trouxemos o Sr.  Aqui hoje pois temos três problemas que nós priorizamos aqui na nossa região. Temos o problema da Praça dos Cadetes que tem ali o campo de Malha que atualmente esta servindo como Cracolândia, desejamos para ali, uma clinica da família, uma creche alguma coisa precisa ser feita…de preferencia uma clinica da família, para atender  a uma população carente em serviços de saúde aqui em Realengo, e reformar a Praça dos Cadetes que é importante também, estamos também com o pessoal  do IAPI, aqui de Realengo, para poder pedir a reforma destes quatro blocos de prédios e por fim temos uma reivindicação de 40 anos dos moradores da Marechal Simeão e rua Titanic, que sofrem com problemas de drenagem e enchentes, onde já teve registros de 1,5 m de água.  Sei da sua luta, e esforço, e que não serão da noite para o dia que resolveremos todos os problemas que se acumularam em 20 anos de abandono. Vou dar agora a palavra ao Coronel Jairo, que disse da alegria de estar aqui. E agora eles (os governantes) estão prestando atenção pra a Zona Oeste, pois ele sabe que foi aqui que ele foi eleito, que foi aqui que nós fomos às ruas e elegemos este prefeito. Graças a Deus ele reconhece e tem se esforçado para mudar este quadro. Digo que os eleitores devem pesquisar na internet o diário oficial, o que os políticos da região tem realizado, não é assim que se faz politica, colocando Jornalzinho confundido as pessoas, não é a faixa, não é o panfleto que diz quem fez a obra, e sim com estas pesquisas irão ver quem verdadeiramente esta brigando pelo seu bairro. Eu tenho a maior vaidade por lutar para trazer eles numa bela manhã de domingo, e ver o Jairinho relatar nossos problemas e reivindicações, eu acredito que ele vai fazer, pois tem compromisso com esta população. Tudo para nós sempre foi muito difícil, mas ninguém consegue tirar o amor e a dignidade que a gente tem por esta terra aqui. Muito obrigado, fiquem agora com o melhor prefeito do Brasil.

Prefeito Eduardo Paes  disse que todos os pedidos a ele feitos, já estão parcialmente adiantados, com orçamentos  em andamento, e outros já concluídos. Disse também que é prioridade dele a questão do saneamento.  (infelizmente não conseguimos perguntar nada a ele)

Morador indignado por não poder dialogar com o prefeito.

Ouvindo os moradores: Sr.  Antônio Galvão – ex-presidente da Câmara Comunitária de Realengo, morador da rua Titanic. Estou indignadíssimo, primeiro que eles vem numa visita relâmpago, e só querem falar e não ouvem a população e de blá-blá-blá estamoscheios. Exaltado o Sr. Antônio disse que o novo Viaduto começa onde não deve e termina onde não devia! Não tem alça para a rua São Pedro de Alcântara e outra coisa, tem autorização do Ministério da Guerra para resolver o problema da enchente, por que eu e o Coronel Ramirez (ex-comandante da ESEE), fomos na DI e ele autorizou a entrada das maquinas…aqui ó que eles vão conseguir.

Isso ai é conversa para enrolar o povo, não tem a mínima condição, afirma a Srª Helenice Capella

” Eu não sou engenheira, mas fiz economia e posso lhe garantir que estes dois

milhões e seiscentos mil, não cobre esta obra, não tem cabimento.”

Conforme já falei, esse pretenso orçamento, liberado para a

obra na rede de esgotos no entorno da Praça Antônio Galvão, não é suficiente.  A rede de esgotos dessa área é condominial, o que quer dizer que passa por dentro das casas, tem mais de setenta anos eestá quase totalmente inoperante.  As manilhas são de barro, com um diâmetro pequeno,tendo em vista que foram feitas para uma casa de dois quartos e, no máximo, quatro pessoas por casa.  Como o Senhor sabe, todas as casas foram ampliadas e, na maioria, foram feitas mais uma ou duas casas.  As manilhas que passam pelas ruas também estão saturadas, tendo em vista que a rede para águas pluviais também não é suficiente para o esgotamento das águas das chuvas.  Portanto elas acabam se misturando.

“A Sr. Eunice disse que R$ 2.600.000,00), não refaz a rede de esgoto nesta região, pois só a pintura dos prédios  ficou orçado em R$ 1.040.000,00.  O Sr. Marcos Wilson morador da Mal. Simeão concorda com a moradora e acrescenta que é inadmissível este problema perdurar por tanto tempo sem solução concreta.

De acordo com a CEDAE em visitas constantes para desentupimentos de esgotos, as manilhas que passam por baixo dos imóveis já esgotam água através delas, tendo em vista o desgate causado pelo tempo.   Agora,  qualquer sequelado mental pode deduzir que um orçamento de R$ 2.600.000,00, de acordo com dados fornecidos pelo Sr. Secretário de Obras, presente ao evento, não será suficiente.   O que vai ser feito, é mais uma vez, uma obra de maquiagem, para angariar votos, tendo em vista as próximas eleições para Governador do Estado.  É impossível que um orçamento desse seja compatível com a obra, principalmente se compararmos com o orçamento liberado para a pintura dos blocos de apartamentos da Rua Titanic, que ficou em R$ 1.040.000,00.   Ora, ou a pintura foi superfaturada ou o orçamento para o esgoto é insuficiente!  Como poderemos saber, já que não há transparência nas contas!

Fico feliz em poder colaborar com seu informativo e acho que Realengo precisa realmente de uma voz mais forte.

Quero que o Senhor possa encontrar na minha pessoa uma colaboradora a sua disposição.

Célia Regina de Souza moradora da Rua Xavier Câmara (leitora do Realengo em Pauta) disse se você passar ali em várias casas vai ver saber que um ladrãozinho safado entrou e roubou até comida de dentro doo armário,  até bicicleta por cima do muro ele levou, e ninguém faz nada, são garotos da comunidade que não tem escola direito, não tem atendimento social tipo afro reggae, não tem ensino profissionalizante as mães são pobres não tem como pagar. E porque quebra molas? Quebra molas não é prioridade, tirou a 33º daqui botou lá pra casa do caramba e a gente ficou abandonado pacificou o Batan. O povo aqui é meio hipócrita não fala quando precisa, temos aqui uma enchente a mais de 40 anos e ninguém resolve. Vem ver quando chove…mas venham de barco.

[nggallery id=2]

Edição nº 3: Das vielas da vintém, para o Theatro municipal.

Gabriel Francisco Pilar.

Um joia preciosa de apenas 14 anos descoberto pela professora Fernanda Gonçalves.

Qual o seu interesse por dança? R) Eu comecei com jazz, e a Fernanda fazia um trabalho social

 com balé no mesmo local e gostou do meu estilo e me chamou no final de uma da aula e convidou  para apresentar  uma coreografia e eu gostei e estou ai até hoje.

E teve alguma influencia da família ou amigos, R) Não, pelo contrário.

Eu comecei escondido da minha família, comecei na vila Olímpica Mestre André, e dizia em casa que ia fazer curso, e na verdade ia fazer dança?

E como foi a reação da sua mãe?  Como disse eu ia escondido, e depois que contei para ela não gostou nada disso… mas com o tempo foi amolecendo e aos poucos ela aceitou, e agora chora e tudo quando me vê dançar.

Ela não me proibiu de fazer, mas disse que não gostava, mas hoje é uma das minhas maiores incentivadoras.

Você teve algum tipo de discriminação por fazer dança? Tive pra caramba, tive até de mudar de escola, eram os meninos que faziam futebol na vila olímpica também e que estudavam na mesma escola, me viram dançar e para eles eu era bailarina, pois para eles não existe bailarino.

Tem sonhos de seguir carreira? Sim para o próprio Teatro municipal. Eu só estou na escola de dança do Teatro sob a direção de Maria Eloeneva, mas quero entra para o corpo de baile.

Vc sonha se apresentar em algum lugar especial? Sim na Argentina, é lá que se encontra o mundo do balé.

Vc se espelha em alguém? Não só admiro a Fernanda como uma grande bailarina, ela é perfeita para mim.

A Fernanda é a pessoa que foi responsável por vc estar no mundo da dança? Sim claro a Fernanda foi e tem sido ótima para mim, eu amo ela de paixão, todo dia agradeço o que ela o que esta fazendo por mim.

Qual a opinião dos instrutores do Municipal? Falam qu ainda não sou perfeito, e se continuar eu vou ser. Eles falam que sou bom, devo me dedicar e treinar com afinco.

Como vc entrou no municipal? Foi um teste, a Fernanda é formada por esta escola que estou agora, a ela me treinou e inscreveu para disputar com 24 pessoas e só tinha quatro vagas, e eu fui um dos quatro agraciados.