CONVOCAÇÃO SOBRE RIO CATARINO

Gostaria de convocar a população de Realengo a dar sugestões e cobrar da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, de como minimizar o problema que a Prefeitura deixou como herança para o bairro, depois das obras do Rio Cidade em 2001, na gestão do Prefeito César Maia. Nesta gestão, do então secretário de obras Eider Dantas, o volume total de dinheiro, para se completar as obras do Rio Cidade, em Realengo, foi insuficiente, e seriam necessários mais alguns milhões, para se levar a tubulação de águas pluviais até o Rio Piraquara, que era o mais indicado, devido a sua profundidade e largura. Como só foram liberados algo em torno de 4 milhões, desviaram a obra para o Rio Catarino, que era mais próximo, porém não era o ideal devido a ser um rio extreito, raso e já saturado.
Isso tem que ficar claro para os moradores desta área, devido a uma tragédia que está aunciada para acontecer. E só não aconteceu devido as chuvas que aconteceram neste último verão, ainda não foram de grande duração pluviométrica, mas mesmo assim fizeram um extrago em todo o curso do Rio Catarino, após Universidade Castelo Branco, onde ocorreu essa ligação das águas do Rio Cidade. Os mais de 20 mil moradores sofrem com a quantidade de lama que ficam em suas portas, e que depois fica um cheiro horrivel se não for lavado de imediato, e todo o tipo de sujeira que o rio trás, desde bichos mortos até pedaços de gente, como relatos dos moradores da Rua Petrópolis. Corre-se o risco da linha ferrea da Supervia, que liga a zona oeste ao centro, também sofrer uma interrupção, pois se o volume de águas que passa em baixo da linha ferrea for maior, pode causar danos a sua estrutura. Todas as vias próximas ficam inundadas, e o acesso no sentido de Padre Miguel fica interrompido, com perdas todos os moradores, para o comécio e para os donos de veículos que trafegam por essa área, que tem de esperar por longos períodos até o nível das águas baixar.
Se algo não for feito logo, que evite e o transbordamento do Rio Catarino em um volume de águas ainda maior, teremos uma catastrofe de grandes proporções, pois não serão somentes prejuizos materiais, mas de vidas, bastando para que isso aconteça, uma chuva com duração um pouco maior das que já acorreram, para inundar toda uma área composta por uma população que já sofre, com o descaso de como é tradado esse problema.
O Rio catarino, que já estava saturado, com um volume de águas muito acima de sua capacidade, teve o seu volume de águas aumentado com as obras do Rio Cidade da Prefeitura, que canalizou as águas pluviais, despejando as águas em frente a Universidade Castelo Branco, quando o correto seria ter levado essa canalização para o Rio Piraquara, que é mais largo e mais profundo. Como não se fez um estudo de impacto deste adicinal de águas despejadas neste Rio Catarino, hoje a população próximo a Univesidade Castelo Branco, ápos a ligação feita neste local por falta de mais verbas, especificamente na Av Bernardo de Vasconcelos, onde se situa a Comlurb e a Trigéssima Terceira delegacia de policia, Colégio Gil Vicente, e tudo que está proximo a este endereço, e principalmente do outro lado da linha do trem, na Favela do Vintém que começa em Realengo e termina em Padre Miguel, e toda a comunidade circunvizinha, como a rua Belizário de Souza, Rua Lomas Valentinas, Rua Barão do Triunfo, Rua Mesquita, Rua Marechal Falcão da Frota, Rua Marechal Marciano, Rua Marechal Agricola, Rua Marechal Antonio Faustino, Rua Marechal Joaquim Inácio, Rua Anacá, Rua Marechal Bibiano Costalat, Estrada da Água Branca, Rua Petrópolis, Rua Curitiba, Rua Recife Rua Belém e Rua Manaus, que sofrem com os constantes alagamentos devido a não possuirem escoamento de águas pluviais. É um problema de cidadania, de saúde pública e de respeito com os moradores. Esse transtorno já afeta a ligação do Rio Catarino como Rio Marinho, que vem no sentido de Bangú para Deodoro, que também não suporta mais esse adicional de águas pluviais.
Essa é a área afetada pelo transbordamento do Rio Catarino.
O que se pede:
1 ) Correção para o desvio das águas pluvias, que foram feitas para serem despejados no Rio Catarino e deveriam ter sido desviadas para o Rio Piraquara; ou….
2) Implementação de águas pluviais para toda a vizinhança do entorno da Favela do Vintém, que sofre com os alagamentos; ou……
3) Desvio de uma parte do Rio Catarino para o Rio Piraquara, em linha reta, pela rua Prof Carlos Venceslau (antiga rua Oliveira Braga), que fica atrás da Universidade Castelo Branco. Isso acabaria com as constantes inundações que afligem toda uma imensa população que sofre com os alagamentos.
Local feito pela prefeitura no Rio cidade, para escoamento de águas pluviais, que afeta toda uma área de inundações, pela falta de um estudo de impacto que isso causaria.
Desvio parcial sugerido em linha reta, pela Rua Oliveira Braga direto até o Rio Piraquara, que é mais largo e mais profundo, podendo receber parte desta água.
Associação dos Moradores do Antigo IAPI Realengo – AMAI Realengo Que abrange 20 Ruas e 20 travessas, num total de 7 mil moradores
amairealengo@pop.com.br

FALA REALENGUENSE – RIO CATARINO

 

Malloca na Vila Vintém sofre com as enchentes do Catarino

O  RIO CATARINO continua a ser o grande vilão no bairro de Realengo que fez 197 anos de existência mas continua com os mesmos problemas seculares., Esse rio passa somente doenças, enchentes e cada vez mais abandonado pelo poder público. Na esquina das ruas Bernardo de Vasconcelos com Vieira do Nascimento  existe  uma abertura com uns 6 metros e a cada chuva, com as enchentes, qualquer pessoa, adulto ou criança, alunos de um colégio próximo, pode cair no RIO e ser arrastado por ele. É UM PURO DESCASO e inclusive essa abertura está servindo para usuários de drogas e outras coisas desses tipos e assim colocando toda a comunidade próxima em constante perigo.Solicito que reparem esse simples problema, já que não há um trabalho de qualidade nesse rio( CANALIZAÇÃO), antes que aconteça mais uma tragédia causada por esse rio. Há uma publicação do municipio que diz ter finalizado a limpeza no RIO CATARINO, EM REALENGO, PUBLICADO EM 06/04/2009, que foram retirados 420 metros cúbicos de detritos etc…..e assim beneficiaria a drenagem etc etc…  mas o que se nota é que nada foi realmente feito  com qualidade, pois o RIO CATARINO CONTINUA TOTALMENTE ABANDONADO ANUNCIANDO UMA  PRÒXIMA TRAGÉDIA . Não coloquemos o problema para o povo(Joga lixo etc), pois eu moro em Realengo á 60 anos e nunca vi esse rio ser realmente limpo. MEU DEUS!!!!!!  

Almir morador da Rua Bernardo de Vasconcellos - lado sul

 

Almir Miranda – morador do lado sul

Rua Bernardo de Vasconcelos

IFRJ seleciona estagiários de Administração

IFRJ seleciona estagiários de Administração
O Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) seleciona estudantes de Administração para quatro vagas de estágio no campus Realengo. Para se candidatar é necessário estar matriculados no primeiro ou segundo período do ensino superior e ter conhecimentos das ferramentas básicas da Tecnologia da Informação. Os estagiários irão desenvolver atividades como elaboração, arquivamento e encaminhamento de documentos; organização do setor; além de fazer contatos telefônicos externos. A carga horária é de seis horas diárias (nos turnos da manhã e tarde) para bolsa-auxílio de R$520 e R$132 de vale-transporte por mês. O processo seletivo consta de análise de currículo e entrevista. As vagas são para início imediato. Os interessados devem enviar currículo até 07 de janeiro para ascom.creal@ifrj.edu.br, informando no e-mail “Vaga de Estágio”.

Rio de Paz e Anjos de Realengo fazem manifestação pelas vítimas dos EUA

Adriana dos Anjos de Realengo e uma criança junto a Bandeira dos Estados Unidos

No dia da Missa 7º Dia da trajedia da escola Sandy Hook, O Rio de Paz e os Anjos de Realengo fizeram um ato de solidariedade as vitimas e familias da escola americana na paorta da escola Municipal Tarso da Silveira, palco de uma tragedia semelhante aqui no Brasil.

O ato teve a presenta de outras entidades de defesa dos direitos humanos, estiveram presentes Adriano Dias do Com Causa e Renata dos Anjos do Cabral, uma parente Jualiana que é casada com um Americano Michael. Juntos rezeram e participaram do ato. Michael inclusive cantou uma musica, apos Celso Paulo cantar a música que escreveu para a tragedia da tasso.

O Ato reuniu as Maes dos Anjos e representantes da sociedade. A Carminha Morais também cantou uma musica e Adriana Mandou uma mensagem para o povo da escola americana atraves de Michael. Ao Final os presentes fizeram uma oração em dois idiomas e por rezeram o pai Nosso e deram um grito pedindo Paz.

Solidariedade ao Povo Americano

 

crianças seguravam cruzes feitas com lápis.

Rua Pedro Gomes em Realengo Parque Aquático

Rua Pedro Gomes Realengo

Talvés seja aqui que a prefeitura queira aproveitar para fazer um parque aquático pois após 8 anos de Governo Cesar Maia…4 anos de governo Eduardo Paes nada foi feito para acabar com os constantes alagamentos. Hoje 13/12/2012 mais uma vez com as chuvas a rua voltou a alagar. Providencias Administrador da 33ª RA! Providencias Prefeito Eduardo Paes.

Rua Pedro Gomes

 

Rua Pedro Gomes

Águas em Realengo

Uma forte chuva caiu em Realengo. Os efeitos já eram esperados. ou seja os mesmos de sempre. O poder público que constroi estádios para a Copa e equipamentos esportivos para  as Olimpíadas não consegue resolver os problemas causados pelas chuvas. O Rio Catarino continua a trazer transtornos para o bairro de Realengo, mas a prefeitura parece acreditar que as chuvas um dia não vão trazer estragos. Após 01 hora da chuva nossa cameras flagaram o caos. Imagine no momento da tempestade.

SUPERVIA INAUGURA BICICLETÁRIO EM REALENGO

Amanhã dia 06 de dezembro de 2012, a Supervia inaugura o bicicletário na estação Realengo. A Inauguração está prevista para as 09 horas da manhã. Como será a ainda não foi explicado mas hoje dia 05 de dezembro acabou o prazo para cadastramento grauito. Veja abaixo as fotos do bicicletário

estação Realengo

 

Faixa anuncia novidade

 

Bicicletário Moderno vista interna

 

vista interna II

 

vista interna para a plataforma

Quando as coisas chegam ao fim

Apocalipse 22, 1-7; Lucas 21, 34-36 

Estamos celebrando o último dia do ano litúrgico.  Na tarde deste sábado já colocaremos os nossos pés na estrada santa do advento. As leituras e as orações deste dia apontam para o fim.  As coisas vão chegando a seu termo.

Muitos dos textos dos evangelhos que falam do fim das coisas, do fim dos tempos, do fim de Jerusalém  usam uma linguagem apocalíptica e forte nem sempre compreensível  numa primeira abordagem. Os céus se escurecerão, o sol e a lua, os astros e as estrelas despencarão do firmamento.  Há  qualquer coisa de terrificante que produz medo.  Por isso faz bem meditar o texto da antífona de entrada: “O Senhor fala de paz a seu povo e a seus amigos e  a todos os que voltam para ele” (Sl  84,9).

A leitura do Apocalipse nos coloca diante de um dos mais belos textos do Novo Testamento.  O vidente fala de rio de água viva  que brotava do trono de Deus e do Cordeiro…Tudo é vida, tudo é vitalidade.  A água que vem de Deus e do peito do Cordeiro  levam vida a todos.  Fala-se da árvore  dá vida, uma  nova árvore, diferente da árvore do paraíso da qual os primeiros pais comeram no fruto que os levou à  morte.  As folhas agora servem para curar as nações.  Folhas de vida!

Tema da vida e tema da luz.  “Não haverá mais noite;  não se precisará mais da luz da lâmpada  nem da luz do sol, porque o Senhor Deus vai brilhar sobre eles e eles reinarão por toda a eternidade”.  O  Senhor anuncia sua vinda para breve.

Ah!  Essas vindas todas do Senhor.  A vinda do Senhor na carne do Menino das Palhas e a vinda nas inspirações,  a vinda nos sacramentos e a vinda no final de nossa história pessoal, a vinda no final de todos os tempos.  Estamos começando a sentir  no canto da boca  um gosto de advento e sentir no olfato um perfume da vinda do  Senhor. Uma das mais importantes posturas do cristão é a da vigilância.  Somos salvos pela graça, por iniciativa de Deus.  Mas cabe a cada um adotar um postura de vigilância.

Fim de um ano litúrgico!  Acabamos de percorrer uma longa estrada que começou com a promessa da vinda do Messias, com o nascimento do menino na simplicidade do presépio.  Estivemos no deserto com o Senhor antes de sua vida pública.   Acompanhamos os passos do Senhor na Semana Santa e estivemos junto do sepulcro vazio com Madalena. Estivemos com apóstolos no tempo da ascensão. Percorremos meses de escuta da Escritura e de tempo de renovação de nossos propósitos e de educação  de nosso coração de discípulos. Tudo termina.  A partir da tarde deste sábado tudo  recomeça.

 Frei Almir Ribeiro Guimarães