FALA REALENGUENSE – RIO CATARINO

 

Malloca na Vila Vintém sofre com as enchentes do Catarino

O  RIO CATARINO continua a ser o grande vilão no bairro de Realengo que fez 197 anos de existência mas continua com os mesmos problemas seculares., Esse rio passa somente doenças, enchentes e cada vez mais abandonado pelo poder público. Na esquina das ruas Bernardo de Vasconcelos com Vieira do Nascimento  existe  uma abertura com uns 6 metros e a cada chuva, com as enchentes, qualquer pessoa, adulto ou criança, alunos de um colégio próximo, pode cair no RIO e ser arrastado por ele. É UM PURO DESCASO e inclusive essa abertura está servindo para usuários de drogas e outras coisas desses tipos e assim colocando toda a comunidade próxima em constante perigo.Solicito que reparem esse simples problema, já que não há um trabalho de qualidade nesse rio( CANALIZAÇÃO), antes que aconteça mais uma tragédia causada por esse rio. Há uma publicação do municipio que diz ter finalizado a limpeza no RIO CATARINO, EM REALENGO, PUBLICADO EM 06/04/2009, que foram retirados 420 metros cúbicos de detritos etc…..e assim beneficiaria a drenagem etc etc…  mas o que se nota é que nada foi realmente feito  com qualidade, pois o RIO CATARINO CONTINUA TOTALMENTE ABANDONADO ANUNCIANDO UMA  PRÒXIMA TRAGÉDIA . Não coloquemos o problema para o povo(Joga lixo etc), pois eu moro em Realengo á 60 anos e nunca vi esse rio ser realmente limpo. MEU DEUS!!!!!!  

Almir morador da Rua Bernardo de Vasconcellos - lado sul

 

Almir Miranda – morador do lado sul

Rua Bernardo de Vasconcelos

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Sobre Realengo em Pauta

Um Jornal totalmente dedicado ao bairro de Realengo. Informando e dando espaço em suas paginas, para que seus moradores expressem suas opniões, encaminhem sugestões e abre espaço para que comerciantes e empresários divulguem seus produtos ou serviços e com isso alavancar o progresso do bairro, gerando emprego aos seus moradores e melhoria de renda.

Uma resposta para FALA REALENGUENSE – RIO CATARINO

  1. Luiz Carlos Chaves diz:

    Gostaria de convocar a população de Realengo a dar sugestões e cobrar da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, de como minimizar o problema que a Prefeitura deixou como herança para o bairro, depois das obras do Rio Cidade em 2001, na gestão do Prefeito César Maia. Nesta gestão, do então secretário de obras Eider Dantas, o volume total de dinheiro, para se completar as obras do Rio Cidade, em Realengo, foi insuficiente, e seriam necessários mais alguns milhões, para se levar a tubulação de águas pluviais até o Rio Piraquara, que era o mais indicado, devido a sua profundidade e largura. Como só foram liberados algo em torno de 4 milhões, desviaram a obra para o Rio Catarino, que era mais próximo, porém não era o ideal devido a ser um rio extreito, raso e já saturado.
    Isso tem que ficar claro para os moradores desta área, devido a uma tragédia que está aunciada para acontecer. E só não aconteceu devido as chuvas que aconteceram neste último verão, ainda não foram de grande duração pluviométrica, mas mesmo assim fizeram um extrago em todo o curso do Rio Catarino, após Universidade Castelo Branco, onde ocorreu essa ligação das águas do Rio Cidade. Os mais de 20 mil moradores sofrem com a quantidade de lama que ficam em suas portas, e que depois fica um cheiro horrivel se não for lavado de imediato, e todo o tipo de sujeira que o rio trás, desde bichos mortos até pedaços de gente, como relatos dos moradores da Rua Petrópolis. Corre-se o risco da linha ferrea da Supervia, que liga a zona oeste ao centro, também sofrer uma interrupção, pois se o volume de águas que passa em baixo da linha ferrea for maior, pode causar danos a sua estrutura. Todas as vias próximas ficam inundadas, e o acesso no sentido de Padre Miguel fica interrompido, com perdas todos os moradores, para o comécio e para os donos de veículos que trafegam por essa área, que tem de esperar por longos períodos até o nível das águas baixar.
    Se algo não for feito logo, que evite e o transbordamento do Rio Catarino em um volume de águas ainda maior, teremos uma catastrofe de grandes proporções, pois não serão somentes prejuizos materiais, mas de vidas, bastando para que isso aconteça, uma chuva com duração um pouco maior das que já acorreram, para inundar toda uma área composta por uma população que já sofre, com o descaso de como é tradado esse problema.
    O Rio catarino, que já estava saturado, com um volume de águas muito acima de sua capacidade, teve o seu volume de águas aumentado com as obras do Rio Cidade da Prefeitura, que canalizou as águas pluviais, despejando as águas em frente a Universidade Castelo Branco, quando o correto seria ter levado essa canalização para o Rio Piraquara, que é mais largo e mais profundo. Como não se fez um estudo de impacto deste adicinal de águas despejadas neste Rio Catarino, hoje a população próximo a Univesidade Castelo Branco, ápos a ligação feita neste local por falta de mais verbas, especificamente na Av Bernardo de Vasconcelos, onde se situa a Comlurb e a Trigéssima Terceira delegacia de policia, Colégio Gil Vicente, e tudo que está proximo a este endereço, e principalmente do outro lado da linha do trem, na Favela do Vintém que começa em Realengo e termina em Padre Miguel, e toda a comunidade circunvizinha, como a rua Belizário de Souza, Rua Lomas Valentinas, Rua Barão do Triunfo, Rua Mesquita, Rua Marechal Falcão da Frota, Rua Marechal Marciano, Rua Marechal Agricola, Rua Marechal Antonio Faustino, Rua Marechal Joaquim Inácio, Rua Anacá, Rua Marechal Bibiano Costalat, Estrada da Água Branca, Rua Petrópolis, Rua Curitiba, Rua Recife Rua Belém e Rua Manaus, que sofrem com os constantes alagamentos devido a não possuirem escoamento de águas pluviais. É um problema de cidadania, de saúde pública e de respeito com os moradores. Esse transtorno já afeta a ligação do Rio Catarino como Rio Marinho, que vem no sentido de Bangú para Deodoro, que também não suporta mais esse adicional de águas pluviais.
    Essa é a área afetada pelo transbordamento do Rio Catarino.
    O que se pede:
    1 ) Correção para o desvio das águas pluvias, que foram feitas para serem despejados no Rio Catarino e deveriam ter sido desviadas para o Rio Piraquara; ou….
    2) Implementação de águas pluviais para toda a vizinhança do entorno da Favela do Vintém, que sofre com os alagamentos; ou……
    3) Desvio de uma parte do Rio Catarino para o Rio Piraquara, em linha reta, pela rua Prof Carlos Venceslau (antiga rua Oliveira Braga), que fica atrás da Universidade Castelo Branco. Isso acabaria com as constantes inundações que afligem toda uma imensa população que sofre com os alagamentos.
    Local feito pela prefeitura no Rio cidade, para escoamento de águas pluviais, que afeta toda uma área de inundações, pela falta de um estudo de impacto que isso causaria.
    Desvio parcial sugerido em linha reta, pela Rua Oliveira Braga direto até o Rio Piraquara, que é mais largo e mais profundo, podendo receber parte desta água.
    Associação dos Moradores do Antigo IAPI Realengo – AMAI Realengo Que abrange 20 Ruas e 20 travessas, num total de 7 mil moradores
    amairealengo@pop.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *